Cirurgia de glaucoma e tubo de Ahmed

Indicamos a cirurgia de glaucoma apenas em último caso, quando a pressão ocular não reduz com o uso de colírios e o glaucoma continua progredindo. A cirurgia também está indicada em casos de intolerância aos colírios, ou seja, em casos em que o paciente apresenta alergia ou não consegue usar os colírios de forma adequada.
O objetivo da cirurgia de glaucoma não é recuperar a visão perdida, mas sim evitar que o paciente perca ainda mais o campo de visão.

tubo

Trabeculotomia
: É a cirurgia mais comum para o glaucoma. Nela abrimos um novo caminho para a drenagem do líquido do olho (humor aquoso). Esse líquido é desviado para uma bolsa que criamos na parte mais superficial do olho, chamada de bolsa filtrante. Dessa forma, abaixamos a pressão ocular, pois desviamos o líquido que está em excesso dentro do olho para uma região mais externa.

tubo2

Implante de tubos valvulares (Ahmed) : 
Em alguns tipos de glaucoma as cirurgias filtrantes (trabeculectomia e esclerectomia profunda não penetrante) não apresentam bons resultados. Nesses casos, há a necessidade de implantar um tubo que drena o líquido do olho. Este tubo é posicionado de forma a comunicar a parte interna do olho com uma região mais externa. O líquido em excesso passa por esse tubo, é armazenado e reabsorvido em outra região do olho, abaixando assim a pressão ocular.
O modelo de tubo mais utilizado é o implante valvular de Ahmed. Ele possui uma válvula que controla a passagem do líquido de dentro do olho para a região mais superficial.